Código de Ética - MaraBilhas de Vizela - Post do Ano 2006 - Post do Ano 2007 - Post do Ano 2008 - Post do Ano 2009 - Expectaculares Super-Produções deste blog

sábado, julho 17, 2010

Eu tenho um projecto para o país.
Um não, dois! E o terceiro digo mais à frente. Estúpido, não é? Eu podia simplesmente apagar o erro cometido na primeira frase e colocar lá "eu tenho dois projectos para o país" e estava resolvido.
Mas não. Tinha de complicar. Adiante.

Eu tenho dois projectos para o país.
O primeiro é em vez do Hi5 criar um Hi4 para as pessoas que eventualmente, numa fase da sua vida, tenham perdido um dedo.

O segundo é plantar árvores em todas as faixas da direita da auto-estrada. Fico preocupado ao saber que vão alargar as auto-estradas de 2 para 4 faixas quando sei que ninguém vai usar a da direita, vai daí plantar arvoredo era um bom projecto. Ou isso ou pôr mesas de piqueniques que o pessoal é português e vai daí pode dar a fome durante a viagem.

Ide em paz!

7 comentários:

bruxinha disse...

olha k realmente é boa ideia a cena do hi4. mas e as pessoas k por alguma infelicidade na vida não têm mãos? o k fazem essas?
a ideia das arvores não é má....ms k tipo de arvores? loool o sucesso depende do tipo

Anónimo disse...

Bruxinha: as que não têm mãos contentam-se com o Hi! Para os mais estúpidos com o Bye!

Quanto ao tipo...referes-te mesmo ao tipo de árvores ou ao tipo de jardineiro?

Cloudman disse...

LOl...essa do hi4 foi genial!

Samuel Vidinha disse...

O Lula da Silva já veio a público defender essa ideia do hi4...

redonda disse...

Bem...de vez em quando eu uso a da direita...
mas vá lá, com árvores vai ficar mais bonito e já agora posso perfeitamente usar outra faixa também, por isso venho apoiar o 2º projecto!
O do 1º não percebi porque é que não se cria primeiro um Hi10...

bruxinha disse...

tipo de arvores....

Maw disse...

E em conjunto com o Hi4, podia-se criar para os portugueses o Hi-aminhavida, e para os portuenses o Hi-o-caralh*.

Acho a ideia das árvores genial, a minha sugestão é pinheiros. As pinhas caiam na faixa e o pessoal podia divertir-se a desviar-se delas e do povo que ia procurar pinhões. Assim as viagens sempre eram mais animadas...